Gêmeos prematuros morrem à espera de UTIs Neonatal em São Raimundo Nonato, no Sul do Piauí.

Gêmeos prematuros morrem à espera de UTIs Neonatal em São Raimundo Nonato, no Sul do Piauí.

Dois gêmeos prematuros morreram em São Raimundo Nonato, à espera de vagas na Unidade de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN). De acordo com a Secretaria de Estado da Saúde do Piauí (Sesapi), a mãe entrou em trabalho de parto na sexta-feira (11), com 7 meses de gestação, e não foi transferida para uma unidade de alta complexidade por questão de segurança.

Em nota, o órgão informou que a gestante foi atendida no Hospital Regional Senador Candido Ferraz, proveniente de São Lourenço do Piauí, relatando dor há alguns dias na parte de baixo da barriga, com piora na sexta (11).

“Ela foi examinada pelo médico plantonista e foi identificado trabalho de parto prematuro. Então foi solicitada transferência para maternidade de alto risco e feitas medicações para tentar inibir as contrações e amadurecer os pulmões dos fetos”, diz a nota.

Segundo a Sesapi, ainda na sexta, quando a equipe e a ambulância estavam prontas para fazer a transferência, a mãe estava em trabalho de parto avançado e, para não correr o risco do nascimento em trânsito, foi decidido que a gestante não seria mais transferida.

Os gêmeos nasceram por volta das 18h, vivos, um pesando 1200 g e o outro 1150g. “Eles receberam assistência imediata da pediatra do plantão e da equipe de enfermagem. Foram aquecidos, receberam oxigênio e foi feito cateterismo umbilical para hidratação e antibioticoterapia”, afirma a nota.

Conforme a secretaria, o quadro dos recém-nascidos era estável, até o momento, por isso foi solicitada vaga na Maternidade Dona Evangelina Rosa, em Teresina, a mais de 500 km de São Raimundo Nonato, a única unidade de alta complexidade do estado.

Ao g1, a Sesapi informou que os bebês poderiam ser levados para UTINs do Hospital Regional Tibério Nunes, em Floriano, distante 279 km. Contudo, no sábado (12), às 23h, um dos gêmeos desestabilizou, foi intubado pelo plantonista, mas não resistiu e morreu, após um dia e cinco horas de nascido, aguardando transferência.

Quanto ao outro bebê, a secretaria afirmou que estava em processo de transferência, no domingo (13), às 13h, quando o recém-nascido teve uma parada cardíaca e faleceu, dentro de uma ambulância do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência.

“Nos solidarizamos com a família enlutada, porém reiteramos que foi dada toda assistência ao binômio materno-fetal durante a internação no nosso serviço”, declarou a Sesapi no comunicado.

redacao_maloca maloca

redacao_maloca maloca

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *